Saúde do homem: A importância dos exames de rotina

Por Dr. Renato Holcman – Urologista – Ambulatório II

Quando se fala em exames de rotina no homem, a primeira preocupação geralmente se relaciona com o câncer de próstata e sua

prevenção. Trata-se de tema controverso na literatocolos de investigação e existe até mesmo a opção de não se realizar exames de busca ativa do câncer de próstata.

Portanto, vou expor neste artigo as controvérsias e como os urologistas costumam investigar e orientar seus pacientes.

O câncer de próstata, na maioria das regiões mundiais, é o tumor maligno mais frequente nos homens com idade superior a 50
anos (excetuando-se os tumores cutâneos). Em 2012, a ocorrência foi de 62 casos novos para cada 100.000 homens (dados do INCA).

A incidência do câncer de próstata vem crescendo no Brasil. Isto se explica pela melhora no diagnóstico e também pelo envelhecimento da população, implicando em maior tempo para o aparecimento da doença, ou seja, antigamente pessoas que teriam câncer de próstata em idade tardia faleciam antes, por outros motivos.

Em fases iniciais, os tumores geralmente não provocam sintomas e são descobertos devido à elevação do PSA (exame de sangue)
ou alteração no toque retal. Admite-se que o risco de diagnóstico de câncer de próstata durante a vida seja de 16,4% e de óbito, 3,7%.

Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia, em seu protocolo atualizado em 2013, deve-se iniciar a investigação ativa aos 45
anos para homens com casos na família ou negros, e 50 anos para os demais. Portanto, é muito importante que se conheça seu histórico familiar, pois pacientes que têm parentes de primeiro grau acometidos têm um risco até seis vezes maior de desenvolver o câncer em relação ao restante da população.

Por se tratar de um tumor silencioso em sua fase inicial, ou seja, não provoca dor, sangramento ou alterações para urinar, a única
maneira de se realizar um diagnóstico precoce é a busca ativa em todos os homens, também denominado screening. Este deve
ser realizado com o exame de PSA e, quando indicado, com o toque retal.

O diagnóstico precoce é muito importante para definir o tratamento, pois propicia uma possibilidade muito maior de chance de
cura do tumor.

Os motivos que sustentam a realização dos exames preventivos são:

1. o tumor de próstata ter normalmente um crescimento lento: isto implica em mesmo que o aparecimento tenha sido há mais
de um ano, ainda se pode diagnosticar em fase inicial;

2. existirem exames que são efetivos em detectar o tumor precocemente;

3. o fato de ser assintomático nas fases iniciais: portanto, se esperarmos o aparecimento de sintomas para se iniciar a investigação, descobriremos o tumor somente em fase tardia, já não sendo possível o tratamento curativo;

4. tratar-se de doença com relevância clínica: a evolução para câncer avançado ou metastático se apresenta com quadro de
muito sofrimento e dor;

5. os exames de diagnóstico serem reprodutíveis e amplamente disponíveis em qualquer centro médico básico.

No entanto, isto posto, deve-se ressaltar o outro lado da moeda: não há trabalhos científicos que comprovem claramente me nor taxa de mortalidade com a realização dos exames rotineiros do câncer de próstata.

Neste aspecto reside a controvérsia quanto à sua realização. Pessoalmente, acredito no diagnóstico precoce como melhor
forma de prevenção da doença em seu aspecto de maior gravidade e alta possibilidade de cura.

Não se comprova cientificamente como prevenir o câncer de próstata. Mas uma dieta adequada, evitando-se excesso de carnes e
gorduras animais, com ingestão significativa de frutas, verduras e grãos, associada a um estilo de vida saudável, atividade física e ausência de tabagismo e etilismo parece estar relacionada com proteção contra a doença.

Ressalto que a saúde do homem é um tema muito maior do que somente o câncer de próstata. Cada paciente deve realizar exames que sejam indicados de acordo com seu histórico clínico e familiar, além de exames específicos para sua idade.

A realização com maior frequência de ultrassonografias de abdome, exames de urina e exames de sangue (como glicemia, hemograma, colesterol e creatinina) tem implicado em um grande número de diagnósticos precoces de múltiplas doenças o que nos leva a uma maior possibilidade de cura e tratamento efetivo.

Como mensagem final, ressalto que todo homem deve ter o hábito de frequentar um médico ao menos uma vez ao ano, principalmente após os 45 anos, e buscar práticas saudáveis ao longo de toda a vida, com uma alimentação equilibrada, atividade física rotineira (ao menos três vezes por semana), ausência de vícios como o cigarro e o álcool e controle do stress e ansiedade.

Desta maneira, prolongaremos nossas vidas com saúde.