Psoríase, uma doença inflamatória crônica

Por Dr. Antonio Fang Hin Youn Lui – Dermatologista

A Psoríase é uma doença inflamatória crônica que acomete a pele e as articulações. Relacionada a uma alteração imunológica de base genética, a doença se manifesta em geral por placas avermelhadas e descamativas bem delimitadas em áreas de traumas, como cotovelos, joelhos, pernas, couro cabeludo, mãos, pés e unhas. Existe também uma variante mais rara, que se manifesta na forma de pequenas bolhas, que é a psoríase pustulosa. Em 10% a 40% dos casos, pode haver comprometimento das articulações dos pés e mãos, e raramente dos joelhos e tornozelos.

A doença acomete igualmente homens e mulheres e pode aparecer em qualquer idade, sendo mais comum na segunda e quinta década da vida. Podemos ter desde acometimentos leves a lesões em praticamente todo o corpo. É importante ressaltar que a doença não é contagiosa. Geralmente evolui com fases de melhora e piora, por exemplo, piora com alterações emocionais, climáticas, traumas locais, infecções, e com o uso de alguns medicamentos, e melhora com exposição solar moderada.

O diagnóstico costuma ser clínico, porém quando há duvida, recorremos a um exame chamado biopsia, onde retiramos um fragmento de pele com anestesia local e enviamos ao laboratório para análise.

O tratamento depende do grau de severidade da doença e da condição clínica e socioeconômica do paciente. Via de regra, os casos mais leves são tratados com cremes de corticoides, vitamina D, e imunomoduladores tópicos. Os casos moderados são tratados com fototerapia, ou seja exposição controlada em cabines de raios UVA e UVB.

Os casos mais severos são tratados com quimioterápicos orais ou medicamentos injetáveis mais modernos, chamados de imunobiológicos. Por fim, devemos saber que em alguns casos a doença pode afetar a qualidade de vida do paciente, e estarmos preparados para minimizar este fato. Um grande abraço aos nossos leitores.